quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Direitos dos homens e das mulheres

Um os objectivos da Revolução de Abril de 1974 foi promover a igualdade entre os homens e as mulheres. A partir daí os direitos dos homens e das mulheres ficaram na Constituição da República, artigo 9.
Nos dias de hoje homens e mulheres tem acesso às mesmas coisas por igual.  Cada vez mais as mulheres  tem reivindicado os seus direitos, mas a verdade é que as mulheres tem que esforçar mais que os homens para conseguirem determinados empregos.
A lei nem sempre é aplicada; as empresas nem sempre se preocupam com os direitos das mulheres. Uma empresa não lhe interessa contratar uma mulher pois sabem que se engravidar que tem ficar sem a trabalhadora 5 meses. Com este exemplo podes  diz que a lei não é aplicada. Nestes casos, podemos dizer que há uma violação da lei e assim tudo vai continuar enquanto não ouvem fiscalização.
Em Portugal a Revolução de Abril de 1974 trouxe a homens e mulheres novos trabalhos. Os homens tiveram acesso a outros empregos que até aí estavam vedados como homem da limpeza e empregado doméstico. Com as mulheres também aconteceu a mesma coisa: havia trabalhos que lhes estavam vedados como ir para o exército ou ir para o parlamento.
No nosso país muita coisa mudou desde do 25 de Abril de 1974.Sobre a igualdade entre o homem e a mulher, tem sido uma evolução progressiva, para a qual contribuiu a emancipação da mulher.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Eu e tu

Pensar…..pensar…..em quê?
Eu??? Eu penso na escola. Já tu andas a chorar pelos cantos.
Soltar o pensar também pode ser chorar….rir….emocionar….
Cala-te, eu cá sei, ou queres que diga tudo ao Tiago.
O Tiago , que personagem é essa??? Tiago, pode ser um ser virtual…nem o quero conhecer.
Engana que eu gosto. Eu já tenho o número dele.
E tu? Estás a disfarçar para não falares de quem tu pensas a toda a hora, te tira o sono, a vontade de acordar para a realidade.
Pois é mas tu não sabes quem é e eu sei quem é o teu amado .
Continuas a fingir…aliás, nem precisas de saber nada…quem anda a chorar pelos cantos és tu!!!!!! Porque não confessas?
Vou ligar ao Tiago!!!
Sofres, choras, finges, foges,…e eu sei que gostas da….
Verdade, gosto, e então não sou eu que escrevo no diário que quero ir com ele para o país das fadas….
Pois não! Mas és tu que nem comes, nem estudas…sempre a suspirar, sem tomar uma decisão de te declarares…E a coragem????
Como tu fizeste, foi grande vergonha. Ele espezinhou-te. Não, obrigado. És uma fraca!!!!
Fraca??? Quem tem coragem de ir à luta, não é fraca!! Assumir os seus sentimentos é um acto de coragem…O resultado deve ser esperado e aguentar as consequências…E , tu, ó senhor dos conselhos? Muito esperto!!!!
Pois é, bravo, chegaste lá!!! E quem te disse que eu não fui à luta? Pois é. Fui e ainda lá estou! Eu ontem não fui sair com amigos, como disse aos pais, mas sim com ela.
Muito me contas….hummmm….bem, já acho que estou a lidar com um lutador. É com os lutadores que a história se faz, não com os que baixam os braços antes da guerra.
Histórias cheias de lutadores, menos a tua.
Agora vai arranjar um lutador para a tua história!!!!!!!
Já arranjei. Eu sou a personagem lutadora da minha história de vida, sabes, sr??? Posso ter sido vencida nesta luta, mas ainda conto vencer na guerra da vida, não achas que posso servir de exemplo?
Ok, tens razão!!!

domingo, 18 de abril de 2010

O que quero ser!


O que quero ser?
Ser mais ou menos!
Ter poder para ver…
Ver o que não tenho
Ter mais sentimentos

Mas afinal o que quero ser!
Quero ser um médico
Para salvar pessoas

domingo, 28 de março de 2010

desabafo!!!!

Quando perco tudo
Tudo cai por cima
Por que tudo me acontece

quarta-feira, 17 de março de 2010

terça-feira, 16 de março de 2010

Amor está no Sol

O amor está perto
Tão longe como o sol
Mesmo assim continuo
A admirar o sol

Tu és o sol
Que me encadeia

segunda-feira, 15 de março de 2010

Sei que vou Vencer

Que confuso estou!
Quero estudar
E estou a estudar
O que eu gosto.

Esta etapa da minha vida
É como um atacador
Cheio de nós
Que se desfazem.

Cada nó que desfaço
É uma vitória.

À procura da chave

Quero ler
Mas não posso
Porque troco os sons

Ele lê por mim,
E eu escrevo por ele.
Mas não está bem!

Eu escrevo
E ele vai ler.
E eu não posso fazer nada…
Ao que ele lê.

sábado, 13 de março de 2010

Uma ideia, que não tenho


Estou triste
Sem razões
Desanimado por nada
Estou oprimido

Com tanto para fazer
Mas não sei o quê
Quero fazer
Mas não sei como

Vontade não me falta
Nem ideias onde gaste

Quero ter liberdade
Para os meus 16 anos
Mas não posso
Porque sou diferente

Mas ser diferente
É um crime?
Que eu saiba, não é.